1/24

E se nos propuséssemos a reavaliar nossas prioridades e limpar o excesso dos espaços que habitamos, reduzindo nossas casas à uma configuração que valorize o que nos faz sentido e removendo o que é supérfluo?

 

A casa Grená foi projetada para uma família de quatro pessoas: um casal e seus dois filhos adultos. O terreno abrigava a casa da família, com 330m², além de um amplo jardim e quadra de squash.

 

Questionando a viabilidade de se gastar tanto tempo cuidando da casa, surgiu a possibilidade de subdividir o lote em três habitações distintas e ocupar o local onde se encontrava a antiga quadra de squash com a nova moradia da família, que deveria ser prática e aconchegante.

Visando preservar a história existente, o piso de taco original da quadra foi removido pela proprietária e restaurado para posteriormente ser utilizado em toda a área social interna.  

 

Partindo dessas premissas, a Casa Grená nasceu das delimitações da antiga quadra de squash no pavimento térreo, sendo 9m de vão livre e a 1,60m do muro dos fundos do lote. Esse afastamento permitiu a entrada de luz indireta e a ventilação cruzada nos ambientes sociais, além de gerar uma área de jardim que se incorpora à casa. Como programa, este pavimento conta com uma vaga semicoberta de garagem que também pode funcionar como extensão da área social, cozinha, jantar, estar, lavabo e área de serviço. Logo à frente da área de serviço está o quaradouro e a horta da casa.

 

Para permitir maior liberdade espacial no térreo, o bloco íntimo foi suspenso sobre uma grelha metálica com vigas que cruzaram o lote no menor sentido. No pavimento superior encontram-se a suíte, dois quartos e um jardim. O volume deste pavimento foi deslocado até o limite do terreno para que os quartos recebam a insolação que vem do norte. Os quartos dos filhos têm um jardim privado compartilhado, concebido como um espaço para os irmãos e um lugar para se apreciar o pôr do sol.

 

A cor avermelhada vem da relação com a cor do solo local e aparece em três momentos. Logo no acesso da casa, com o muro frontal, que é totalmente vedado e que, além de barreira visual, tem função de lixeira e depósito. Nas peças metálicas, formadas pelas esquadrias e vigas. E pela escada em chapa metálica dobrada, que marca a circulação ao segundo pavimento e recebe iluminação direta através de uma zenital.

 

Além das vigas metálicas foram utilizados materiais convencionais como alvenaria e estrutura de concreto. Com dois pavimentos distribuídos em 139,00m² de área construída, a casa teve um cuidadoso projeto de conforto térmico, que direcionou a aplicação de contraparedes em gesso acartonado e o cuidado na vedação das esquadrias – com especificações detalhadas de vidros e perfis de alumínio.

 

Apesar da forma e função racionais, a casa demonstra a personalidade dos moradores por meio de cores e objetos. Através de sua configuração reduzida, foi permitido silenciar ruídos e dar espaço para o que realmente faz sentido.

Casa Grená

Curitiba | PR

Área construída: 139,16m ²

Obra concluída - 2020

Fotografia: Eduardo Macarios